Páginas

sábado, 2 de abril de 2011

A(s)ma




Eu não preciso que você seja romântico. Eu não preciso que você seja meloso. Eu não quero que você me entenda. Eu não preciso que você diga que me ama todos os dias. Eu não quero que você me elogie sempre. Eu não exijo que você se lembre de todas as nossas datas. Eu não quero que você seja perfeito.

Eu só quero que você acredite no amor. Eu exijo que o meu amor seja importantíssimo pra você. Superlativo elevado ao cubo. Eu tenho necessidade de beijos adolescentes. Eu morrerei no dia em que seus olhos não brilharem mais. Eu respiro palavras, então por favor, não me asfixie. Você pode falar com os olhos. Das suas mãos saem letras, dos seus sorrisos, as palavras brotam.

Diante disso, eu lhe peço: não se cale. Não sufoque o meu coração. Não abafe a minha alma. Pois é nas palavras que eu respiro. É no seu peito que eu existo. É no seu olhar que meus pulmões se afogam em oxi-gênio. E pra mim, nada melhor que isso. Pois tenho alma asmática. E é você quem controla o meu (am)ar.

28 comentários:

Ayanne Sobral disse...

Palavras impecavelmente entrelaçadas. Fiquei sem ar.
Que linda forma de amar e de respirar. Aliás, que post lindíssimo³.

Minha admiração.

PS: Primeira. éé! (:

Arthur A. disse...

Texto intenso, amor visceral.

Camila Márcia disse...

Intenso! Que antes de dizer Te Amo que exista a ação de realmente amar, porque senão as palavras de nada valem a pena, pois uma coisa é certa: as mesmas palavras usadas para falar a verdade podem também serem usadas para dizer mentiras!

bjus

Lilian disse...

Se fosse eu a escrever não teria tanto de mim.Quero guardá-lo na minha estante qualquer dia,posso?
Um beijo.

Tati disse...

Nossa,
Quem tirou o ar agora foi você. PERFEITO!

Fábio Ferrari disse...

Muito bem escrito.

Mente Hiperativa disse...

Como eu queria ouvir isso de uma garota...

Apesar de carinhoso, não sou nem suporto relação melosa...
Sou PÉSSIMO com datas, posso esquecer todas elas e num dia 'qualquer' presenteá-la ou chamá-la pra um programa especial...
Não gosto da obrigação de ter que se falar ao telefone à cada hora do dia, o tempo todo, me sufoco assim...
Não sou muito bom em escrever cartinhas apaixonadas, mas sou ótimo em demonstrar meu amor com os olhos, com os olhares, com o carinho...

Como eu queria ouvir isso de uma garota...

Camila Lourenço disse...

Perfeito!

Vc e a Cáh me fazem mal. Vcs me lembram das coisas que vivo tentando enterrar...feia,feia,feia!

rs!

Beijo!

Lívia Azzi disse...

Uau, Alicia!

E há coisa melhor que se render ao controle de (am)ar?!

Teresinha Oliveira disse...

Haja pneumologista para receitar tantas "bombinhas", e homem competente para merecer tamanho amor :•)

Verô. disse...

"Eu respiro palavras, então por favor, não me asfixie".

Sei bem como é.

:)

Noe* disse...

Lindíssimo. Gosto da forma como conduz a escrita

Bjs

Marília Felix disse...

Ela é como Clarice, escreve com todo o corpo!
Adorei!
Bjão.

Ingrid disse...

simplesmente amar..
beijos Alicia e bom findi

Julliany kotona disse...

Texto profundo suas palavras são sempre alimento para a alma bjs de bom domingo.

Giovanna Cóppola disse...

Que lindo, Alicia. "Eu morrerei no dia em que seus olhos não brilharem mais." Eu senti tanto isso há um tempo atrás, essa dor é a que mais me asfixia.

Lia Araújo disse...

Ai, esses silêncios que me matam!

lindissimo texto!
adoro aqui, menina Bela!

Passei pra desejar um otimo domingo!
bjos

L. disse...

Uau!
A pior dor é não sentir amor!

Nara Sales disse...

Para não causar a morte do que acreditamos.

Van disse...

você descreve a alma feminina, Alicia.
Mulheres precisam "ouvir" o amor, já disse alguém antes: o ponto G da mulher é no ouvido.

@jobonilha disse...

de acelerar o coração... :)

estou te seguindo,
um beijo!

Az.) disse...

eu adorei a postagem, é bastante intensa. ;*

Lilian disse...

Vim furtálo :P
Beijo Alícia!
Obrigada. =)

Idiótica. disse...

Que texto mais amável, lindo, delicado. Adorei, e aconselho a todos perderem o ar de vez em quando.

Camila Fontenele disse...

A gente existe nas pequenas coisas, nos pequenos gestos e não se dá conta. Algo morre enquanto isso!

Belo texto.
;*

"A" Narradora disse...

Adorei esse texto. Li no blog da Lilian e conheci seu blog através do dela.

Parabéns :) E belo espaço!

Gabriella Beth Invitti disse...

Por que tu sabes escrever o que sinto?
Vou guardar este post. Falaste comigo nele.

Grande beijo!

Marco C. Leite disse...

De ler num folego só...

Beijos querida..