Páginas

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Escrevo porque meus dedos dançam



Batendo as unhas no teclado

Nada faz sentido

A inspiração vem, mas

Perde a força

Não alcança a ponta dos dedos

Evapora na minha áurea

Sinto fome na alma

A existência me dói

Não posso pôr isso em letras

Quem conta um conto não canta uma canção

Quem canta uma canção não vê as palavras dançarem, mas o ritmo

Canto desafinado esse dos meus dedos

Dá-me frio na barriga essa vontade de escrever

Escrevo porque meus dedos dançam

E o teclado alcançam

A alma escapou

Se amedrontou diante da minha inspiração

Sou só corpo

Sou só dedos que batem no teclado

Sou só espasmos

Ciao

Se não paro agora, morro.

15 comentários:

Sandro Ataliba disse...

Difícil não é parar de escrever, mas parar de pensar no que escrever.

Thaís Alves disse...

Acho um saco quando a gente sabe o que quer escrever, mas simplesmente não consegue. Não é falta de inspiração da alma, acho só que é pensamento cansado... Beijos

Nara Sales disse...

A inspiração nos toma de súbto, e, às vezes, a alma não está inteiramente pronta.

Ingrid disse...

por vezes é tanto que não cabe em nós..
beijos

Verô. disse...

Ainda bem!
Se seus dedos não dançassem seria um pecado, Alicia!

:)

Fabrício Franco disse...

Motivo (Cecília Meireles)


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.


Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.


Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.


Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.

Fernanda Schimanski disse...

Não importa a música ou o ritmo, só não pare de dançar.

Lindo, lindo texto!

Etiene disse...

e viva toda forma de expressão .. beijus

Ayanne Sobral disse...

Uau!

As palavras dançam aqui, meus olhos acompanham o ritmo e não piscam, que é pra não perder nenhum passo.

Que bela coreografia!, suspiro.

E que a efervescência da sua inspiração desemboque sempre linda e urgente assim. Porque assim, e só assim, tudo urge com poesia e alma.

Camila Márcia disse...

Ahhh que lindo! Escrevo por isso por aquilo, enfim todo mundo tem um motivo para esse exercício interior e o fazem de maneira diferente... isso é o que torna cada escrita e cada leitura intensamente subjetiva e envolvente.

bjs
http://devaneiosfugazes.blogspot.com/

Idiótica. disse...

Eu não tenho essa necessidade de escrever, mas sinto falta quando passo muito tempo sem.. Sempre quis deixar claro que não vou me forçar a escrever pra postar no blog porque os outros querem, porque está demorando muito. Eu escrevo quando eu quiser, quando eu tiver tempo, quando minha cabeça enfim tiver um relapso de dignidade e funcionar, são tantas coisas acontecendo, eu poderia pensar em tudo menos em me martirizar escrevendo-as. Desculpa pelo desabafo.
Belas palavras, como sempre. (:

Pequena Notável disse...

Lindo. dance, querida. "como se não fosse um tempo em que já fosse impróprio se dançar assim Ela teimou e enfrentou o mundo se rodopiando ao som dos bandolins."

Dave disse...

É um acumulado de tanta coisa, que precisamos de algum tipo de válvula de escape pra esvaziarmos, nos esvaziarmos. Escrever é a nossa.

Beijo!

Guilherme disse...

E o que nessa vida faz sentido, se não é a própria cabeça quem costura e liga os pontos, dando sequência daquilo que era antes pr´aquilo que vem depois.. talvez.. pra gente se sentir mais em paz?

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Escrever não é passível de escolha.. te consome, como a chuva que engole a cidade