Páginas

terça-feira, 15 de março de 2011

Poeta



Inspira noites
Expira estrelas
Poeta é aquele que faz pontes
Apropria-se das coisas sem tê-las


Emoldura o vazio
Sustenta o que não tem nome
Agudiza o calafrio
E a angústia, então se move


Desloca-a, daqui vai pra lá
Embeleza-a, mas não a deixa
Porque beleza maior não há
Poeta é aquele que diante da angústia, a beija.



30 comentários:

Mar disse...

Procura-se o poeta, onde escondeu?
Procura-se o amor, acha-se o poeta
O poeta não morreu, apenas adormece
revigora as forças em uma prece...

Karoline Serpa disse...

Emoldurar vazios... eis a sublimidade do ser poeta.

Encantador do começo ao fim.

Karoline Serpa disse...

"Poeta é aquele que diante da angústia, a beija".

Sublime!

Ph disse...

O poeta é sempre assim, fazendo da dor uma narrativa bela.
Beijos!

Michelle Crístal disse...

Por isso existe o verso! Então existe o beijo, são apenas fascínios...

Andressa disse...

Não vou deixar um beijo porque ler isso não me deu angústia.

Amei!

Fabrício Franco disse...

Alicia,

Muito bom! Gostei do pedaço que diz que o poeta emoldura o vazio. Realmente, vezes há que vendemos biscoitos de polvilho como se fossem grandes petiscos... rs rs rs

Beijos!

Eider Fabrizio disse...

Poeta é aquele que carimba a empolgação da aflição dos sentimentos em palavras. Tristes ou não.

Camila Márcia disse...

Belo!!!! E como dizia F. Pessoa:
O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

Aline disse...

lindissimo!
todo poeta é um vencedor...

Van disse...

e poesia é isto que você fez aqui

Linda!

Adorei o "recheio do pão" rs

Beijos!

R.B.Côvo disse...

"Poeta é aquele que faz pontes
Apropria-se das coisas sem tê-las"

Gostei dessa definição. Abraço.

Malu de Oliveira disse...

Emoldura o vazio...

Fazer poesia não é pra qualquer um.

Bjs.

Jorge Pimenta disse...

ora aí está: as definições podem ser tudo menos canónicas, convencionais ou até enfadonhas.
este poeta "que diante da angústia, a beija." é o feiticeiro que cada um de nós, à sua maneira, persegue. costumo chamar-lhe "plantador de sonhos" :)
beijinho!
texto perfeito!

Amapola disse...

Boa tarde.

Nossa... Que lindo poema!!

Um abraço.

Maria Auxiliadora (Amapola)

Cristal disse...

"Poeta é aquele que diante da angústia, a beija".

Isso é maravilhoso!

E você sabe que é a poeta...


Beijos

Ani

Arthur A. disse...

Juro por Lacan que antes de chegar na última linha de sua poesia eu já estava formando na minha cabeça a imagem do poeta como aquele que beija a angústia...

Sandra Botelho disse...

Poeta é aquele que escreve como tu.Parabens...
beijos achocolatados

Osvaldo Batista de Mello Netto disse...

:^)... BEija... Beija mesmo!!!

Lívia Azzi disse...

Sou poeta até sem escrever poesias...

Belo poema, Alicia!

;-)

Ayanne Sobral disse...

Poeta rima amor com angústia
Poeta beija a dor

Poetas, invariavelmente,
gritam as palavras que nós, pobres mortais, apenas sussurramos.

'Alicia, [re]afirmo: sou sua fã.
Minha mais profunda admiração por tuas palavras que, tão absolutamente transparentes, refletem muita verdade.

Campanha: QUEREMOS O LIVRO! haha.

Teresinha Oliveira disse...

O sofrimento é um dínamo de palavras. O poeta as sai catando, quiçá sob um vendaval, e as guarda no papel. Ou de outro feito e tanto, ele preguiçosamente recolhe letrinhas, que pássaros deixaram cair dos pés num dia de sol, e monta um poema-sorriso. Tudo é motivo e causa para a poesia, basta o viés do olhar.

yasmim disse...

gostei tanto, vou seguir querida.

Í.ta** disse...

ser poeta é fazer ponte, sim. sentir a poesia é atravessá-la :)

muito bom poema!

Carina B. disse...

Falando de pontes e poetas lembrei-me de Neruda:
"Sou uma ponte imóvel entre o coração e a eternidade."

Beijos!

Camila Márcia disse...

selinho no meu blog p/ vc. acesse, bjs.

Giovanna Cóppola disse...

Puta que o pariu. Poeta é aquele que, diante da angústia, a beija. Que lindo, que intenso. Esse final arrepiou. Parabéns!

A.S. disse...

O Poeta provoca o tempo,
o parto das palavras,
a viagem dos vocábulos,
inventa contornos,
linguagens,
espaços de luz,
frémitos de beijos
escorrendo em rios de silabas
incendiadas!


Beijos,
AL

Sahge disse...

Eu pensei a muito tempo que eu era um poeta. Estava errado, creio, porque a poesia e coisa caprichosa, que transcende e pode abandonar o poeta tal qual a musa que o isnpira. Talvez a própria auto-afirmação me desqualificasse como tal. Não sei se ainda posso escrever, porque cada vez mais me sinto capaz de sentir a angustia e menos de dar a ela a forma e o conteúdo de um sonho semântico, pelo menos, do tipo que me agrade.

Talvez porque isso não seja uma escolha, como disse Fernando pessoa num verso que concorda com o modo lindo com que você definiu um poeta em sua poesia...

"Não tenho ambições nem desejos.
ser poeta não é uma ambição minha.
É a minha maneira de estar sozinho."

Cassiana disse...

eu ando com uma raiva dos poetas, mas uma raiva tão tão tão grande que se você soubesse, podia ficar horas falando sobre isso. juro
mas o que vc escreveu ficou lindo e como vc é menina e meninas tem esse pacto de cumplicidade ao contrário do que eles pensam [que somos competitivas e o caralho] então..
então lindo, lindo adorei
e linda você por isso
beijo