Páginas

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Tu és o meu passeio




É tão bom te ver. Você tem um brilho sedutor.
Os olhos grandes e atentos. E eu os querendo só pra mim.
Os lábios agridoces e misteriosos.  E eu rezando pra que deles pule uma palavra vermelha.
As mãos firmes e decididas. E eu, por telepatia, tentando fazê-las me pegarem firme e me dar alguma segurança.

Sim, eu disse segurança. E não é que eu seja a pessoa mais insegura, mimimi ou ciumenta desse mundo. É simplesmente porque eu sou desengonçada - e não é só por fora. Acho mais bonito dizer que é porque a minha alma se esparrama. Que por isso eu fico estabanada.

Então vem você e me junta. Não é isso o que você está pensando. Não estou aos cacos. Mas é que eu sou pedaços. Não sou fragmentada. Eu sou cada fragmento meu. Sou inteira nas minhas metades.

Então vem você e me dá uma moldura, e me dá tônus, e me dá alguma firmeza. Pode parecer que é aí que eu me sinto forte, quando estou segura e firme, diante de você.

Mas engana-se, meu bem. É aí que eu me sinto mais fraca. É aí que estou mais vulnerável.
Forte estou quando estou em pedaços, que é a minha condição natural. O chão é o meu habitat natural, e ali eu me componho de forma elegante. Se pareço sedutora, é porque me confundo com o chão. E este, sim, é sedutor. Tá aí a lei da gravidade pra comprovar a paixão que nós temos pelo chão nesse planeta. Enfim.

Vem você e me monta. Vem você e me dá forma. Vem você e me dá a forma que você bem entende. E vai embora quando bem entende. E então, a qualquer momento posso me espatifar no chão. Levar um tombo bem bonito. Despencar. Despedaçar.

Te parece terrível? Não, querido. Eu disse, o chão é meu habitat natural. Ali está tudo sob controle.

Mas é que eu gosto mesmo é de passear. De ganhar vida nos seus olhos, de dormir no seu sorriso, de acordar no seu abraço. De me enxergar nos seus olhos, toda vestida de ilusões.

22 comentários:

Camila Márcia disse...

Só entregamos nosso coração para as pessoas que amamos e são essas pessoas que costumam nos deixar cair e se espatifar...

bjs

Vanessa Souza Moraes disse...

Ilusão. O vestido mais bonito.

Priscila Lopes disse...

depois que a fantasia com que estás vestida cai, a narrativa fica bem diferente.

adoro-a.

Karla Dias disse...

Com os pés no chão, cabeça nas estrelas e vestida de ilusões...
Nada melhor que sonhar.
beijos

Bruniele Souza disse...

Nossa Alicia, você consegue dar vida as palavras! Seus post provocam meus sentidos. Suas frases espressam muito bem o que se sente quando a gente se "encontra" em outro alguém. O olhar é algo que provoca, ser notado provoca algo em nós, junta nossos pedaços, faz o incerto começar a fazer sentido, um sentido que sempre foi nosso,mas o outro vem e junta as nossas partes de um jeito tão incrível que é impossível não resistir!
adorei

Lívia Azzi disse...

Seus escritos causam-me uma tontura tão doce e encantadora quanto ao amor - profundo e pertubador...

Thaís Alves disse...

Acho que é o melhor texto seu que eu já li aqui! Beijos!!!

Ayanne Sobral disse...

Eu sou cada fragmento meu. Sou inteira nas minhas metades.

Essa é coisa mais linda que eu li nos últimos dias, Alicia. Seu texto me deixou sem palavras, de novo. Eu, que sou toda desengonçada, abri um sorriso ao entender que a estabanação é apenas a alma se esparramando. Que lindo!

E linda também é essa declaração de um amor desmedido e resignado frente à sua condição de amor imenso. Tão grande que escorre dos teus dedos e vem pulsar aqui, do outro lado da tela, nesse coração, o meu. E me plantou uma dúzia de estrela nos olhos.

Obrigada. Obrigada por escrever. Por fazer com as palavras essa rede que nos permite repousar a alma. E que faz tão bem.

Queria poder comentar eternamente aqui. De verdade.

Sua fã, viu.
Um beijo, cheio de carinho.

Camila Lourenço disse...

Inveja mode on.
de ter uma historinha assim...claro,preciso esclarecer.Rs

Bjo!
Amei, como sempre.

Sabryna Gonçalves disse...

Palavras doces .
Te sigo, beijo querida.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

São partes inteiras porque se vestem com os véus de seu próprio peso.. belo texto, Alícia.

Teresinha Oliveira disse...

Palavras vermelhas... Como é bom ouvi-las.

LuH disse...

"Mas é que eu gosto mesmo é de passear. De ganhar vida nos seus olhos, de dormir no seu sorriso, de acordar no seu abraço. De me enxergar nos seus olhos, toda vestida de ilusões."

Fiquei muda, boquiaberta e babando rss
Que belo passeio, o melhor eu diria: se olhar nos olhos de alguém e ver-se lá - coisas mágicas da existência

Abç, Alícia

ilPagliacci disse...

Um brinde às almas fragmentadas por opção. À beleza de se dividir em infinitos pedaços.

Carina B. disse...

Roupa mais bela que a ilusão, só a fantasia. E as palavras, como são as tuas, também vestem muito bem.

Lindo texto!

natyscastro disse...

Ai Alicia.. esse agora é o meu favorito... me identifiquei com ele da primeira a ultima letra.. tão bom poder ler textos tão bem escritos... me inspira, me dá vontade de evoluir e quem sabe um dia escrever tão bem assim.

Beijos.. mais q amei o post

Rafael Castellar das Neves disse...

Muito bonito...uma evolução...

[]s

Confissões disse...

Uma coisa é verdade: A beleza está nos detalhes! E você consegue perceber isso.
Muito bom, menina escritora =)

Mari disse...

Vestida na forma que me faz ser
Investida na beleza que não posso ver
Revestida com a força que sei ter
Assistida por você...

Van disse...

Ai ai ai

você vai tão profundo. Como encontra fôlego?

E nos tira o nosso.

Que belo texto, que bela compreensão de si você possui, Alicia.

Sabryna Gonçalves disse...

Falando com você eu posso dizer,que não existem palavras melhores para designar a sua nudez nos detalhes e firmeza na realidade... te seguindo passa lá no meu blog

http://sabryna-liberdade.blogspot.com/

Nanda Melo disse...

És Alicia, enquanto alicia vogais e consoantes para formar as mais belas palavras.

E por ser Alicia, traz com 'malícia' os interlocutores para falar consigo.

Permaneces Alicia, pela delícia doída de seus textos e sentimentos escritos.

Falo contigo, porque falas comigo. Sou e és, Alicia.