Páginas

terça-feira, 14 de junho de 2011

Louco é o amor, e não eu.




Ei, garoto maldito! É, é com você que eu falo. 

Ora não passa de um bebezinho fresco, que reclama de uma mínima dor muscular como se lhe tivessem amputado um membro, ora parece tão competente que seria capaz de administrar os pepinos do mundo inteiro.

Ora não faz o mínimo de esforço para prestar atenção nas minhas manhas, ora me pega de um jeito tão firme que eu mesma perco o rumo da minha vida.

Peraí...eu disse rumo? Que rumo? A minha vida nem tem um... Não, definitivamente. Não posso achar que a minha vida tem um rumo quando a sua presença na minha vida é tão decisiva. Não posso chamar de rumo quando perder você significaria perder o meu chão. Chão? Há-há-há. Rio de mim mesma. Mentirosa que sou. Pois ter você é justamente abrir mão de ter um chão debaixo dos meus pés.

Meu amor por ti me faz lembrar a infância e Vinícius de Moraes “Era uma casa muito engraçada. Não tinha teto, não tinha nada. Ninguém podia entrar nela não. Porque na casa não tinha chão. (...) Mas era feita com muito esmero, na rua dos bobos número zero”.

Sim, me fazes morar numa casa imaginária. Sim me fazes morar na rua dos bobos. Nosso amor é uma casa que construímos sem material e sem lugar. Numa dimensão que nem existe. Sim, eu sei que falo aqui do MEU amor, e que você me acha louca por te dizer coisas assim, tão sem sentido. Mas saibas que a minha maior loucura é te amar. Não porque você não seja amável, mas pela forma absurdamente maluca que eu te amo.

Não, eu não me mudaria para o inferno com você. Não, eu não abriria mão da minha auto-estima por você. Não, eu não abriria mão dos meus princípios por você. Percebe? Se não é assim, como é que eu posso te amar?  Loucura é isso. Amar sem ser louca. Louco é o amor, e não eu. Acontece que eu não sei diferenciar o amor de mim mesma...


Ps: Eu iria pro inferno, pra te buscar. Menino maldito. Você tem um poder sobre mim que eu mesma desconheço....

17 comentários:

Carina B. disse...

Estou escrevendo sobre amor, loucura e contrários e venho aqui e leio isso.

Disse tudo.

Adorei!

Ayanne Sobral disse...

Que lindo texto!
Todo ele e cada palavra é poesia pronta, é poesia em prosa. Li e fiquei tonta. [ih, rimou? rs]

Acho que só quem tem amor que vem de dentro consegue desfiar assim, tão lindamente, letra a letra.

Você atordoa meus pensamentos e eu fico sem palavras para as suas.

Adorei. É isso.

Ismália . disse...

Oi Alicia!
Falou tudo!

E eu fiquei sem palavras, haha.

Beijocas!

Ismália .

Brunno Lopez disse...

Espirituosa demais? Talvez. Ainda estou analisando os métodos (ou a não existência dos mesmos) usados por sua pessoa em seu post.
Antes de qualquer julgamento precipitado, prefiro simplesmente adotar alguns pontos de vista e concordar com eles. As citações aqui despejadas são muito observadoras, coerentes com a ideia que você escolheu.

'O amor é louco, não você.'

Isso é uma verdade. Fugiu um pouco dos estereótipos cardiovasculares que nos são imputados desde o nosso nascimento.

Vou seguir por aqui e ver o que descubro!

Vilmar Barros de Oliveira disse...

Maravilhoso!
Amar é isso: andar sem os pés no chão.
Beijo grande

Camila Lourenço disse...

"Eu iria pro inferno, pra te buscar. Menino maldito. Você tem um poder sobre mim que eu mesma desconheço...."

A frase que mais gostei e que de longe, mais me representa.
Amei.
Bj

A.S. disse...

A loucura do amor é deliciosa!
Exactamente igual à nossa louca lucidez!...


Beijos, querida!
AL

Lívia Azzi disse...

Existe uma casa mais bonita do que essa construída pelo amor, num mundo que só os bobos são capazes de habitar?!

“É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo" (Clarice Lispector)

Fernand's disse...

eu tbm não sei.
ainda bem.



:D

Gabriella Beth Invitti disse...

Ahh! O amor! (...)

Ele deve ter este poder: Um poder sobre mim que eu mesma desconheço.

Marco C. Leite disse...

Putz, justo hoje que descarreguei um caminhão... hahaha senti que foi pessoal, sem que tivesse sido escrita pra mim... menino bobo, nós homens somos todos iguais, distraímos vocês... hahaha...

Beijos

Flá Costa disse...

Taí, eu também não.
Sei lá o que sou eu sem esse amor todo. A propósito, adorei a comparação com "não tinha teto, não tinha nada...".

Sempre uma delícia passar aqui.
Sempre.

Cynthia Osório disse...

"Acontece que eu não sei diferenciar o amor de mim mesma..."

Muito louco isso...ah,Vinícius coube perfeitamente aí no texto!

Ivan disse...

Que post bom de se ler... "louco é o amor, e não eu" muito bom!

CYWMARA WADISQUY disse...

\o/ "Ps: Eu iria pro inferno, pra te buscar. Menino maldito. Você tem um poder sobre mim que eu mesma desconheço.."

ADORO ISSO QUE O AMOR FAZ COM AS PESSOAS hehe

ADOREI VOSSO BLOG VISSE XEROOO LINDA

http://cywmara.blogspot.com

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Louco é o amor, e não o 'eu'.. o curioso é que é justamente a 'loucura' dessa gangorra que mantém a coisa acesa.. é como se a mulher tivesse o fetiche de querer conseguir instantes.. segurança afasta, verdade crua, vida que nas entranhas da retórica imita a arte...

Paulo disse...

Amor que não é louco não merece ser chamado de amor. Loucura sem amor não merece ser chamada de loucura.

Todos ao hospício!