Páginas

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Pilates do amor


O amor. Aqui estou eu, disposta a falar sobre ele, novamente. O amor me faz questão. Como é que posso me doar tanto a um outro, ainda que ele sequer chegue a imaginar o poder que tem sobre mim? Como é que ouso ser feliz, apenas por amar?
É. O amor me deixa muito curiosa. Amar e viver, para mim são quase sinônimos. Amo de muitos jeitos, e sei que você que me lê, também. Porque o amor a que eu me refiro, não é sempre o amor romântico. É simplesmente o amor. Se é que o amor pode ser simples...
É também o amor pela vida. Não fosse ele, eu não estaria aqui, angustiada com todo o esforço que o meu corpo faz para se manter vivo. É sangue pra cá, secreção pra lá, sistema funcionando por aqui, hormônios por ali...  É pensamento aqui, outro pensamento ali, mais uma lembrança passando, e coisa que esqueci lembrando...
Ufa! Mas que trabalho dá viver! Mas que trabalho dá amar!
Eu aprendi que ser preguiçoso é coisa feia. Por isso não me importo de trabalhar tanto para amar. Faço pilates com os pensamentos, step com os sentimentos. E por isso posso andar, porque não tenho preguiça de amar. O amor nos dá movimentos. Não amar nos paralisa. Eu amo, eu ando.
Te parece pouco? Bem, é isso o que me permite ter um sono tranquilo todas as noites...



*imagem: deviantart

29 comentários:

Tati disse...

Lindo! Tão bom ler sobre o amor, todas suas faces....
Como diria Oswaldo Montenegro: "Porque metade de mim é amor. E a outra metade também"
Beijos!

Paulo Becare Henrique disse...

Gostei da sua observação sobre o sentido mais amplo do amor. Olhando por esse prisma, me sinto mais à vontade para também acreditar que o amor é o que "me permite ter um sono tranquilo todas as noites" e levantar todas as manhãs. Amor, aqui, entendido como sinônimo de movimento, energia, vida, pulsação, garra, entusiasmo e afirmação da vontade (no sentido nietzscheano da expressão).

O amor romântico às vezes - e apenas ÀS VEZES - me parece mais sufocante e debilitante, com todas as suas exigências, mesquinharias, idealizações, pré-condições, delimitações de papéis, regras, jogos, convenções, estereótipos, generalizações, imposições e blá-blá-blá...

Bom, chega. Acho que hoje estou muito prolixo - "pro lixo"? - e pouco romântico, hahaha!

Orquídea de Pêlo disse...

amor é movimento... linda a prosa.

Andressa disse...

Gostei bastante do seu texto e concordo com tudo, Alicia (amo o seu nome).

Um beijo!

Morena disse...

Lindo, lindo!
Ah, o amoorr!


Beijos, flor!

Tissia. disse...

Delicioso!

rauau disse...

Faz muito bem em viver amando, amando o que vive.

Lia Araújo disse...

Tinha tanta fé no amor....mas, pulei do trapézio, sem rede... e ele não estava no outro trapézio pra me dá a mão...

bjos querida
obrigada!

sigo-te tb!

Julia Susigan disse...

O amor é o mais nobre dos sentimentos!

Já te sigo flor !

Passa no meu espaço >> http://jususigan.blogspot.com/

Será bem vinda !

Bjs e boa semana !

Verônica disse...

Olá... sim, sou nova aqui, me permite? :)

Entre tanta coisa boa e bonita escrita, destaco a que (por um motivo ou outro) me fez o maior sentido:

"Faço pilates com os pensamentos, step com os sentimentos".

Parabens, Alicia!
.

Lívia Azzi disse...

Eu também amo de muitos jeitos e sinto que amar nos dá esse movimento que nos faz viver com mais intensidade e plenitude...

Belo texto, Alicia!

Ana Carolina Vingert disse...

é o que a gente realmente não cansa de procurar,
e a busca nos faz sofrer, sorrir, viver...
é um prazer que não se separa da dor.
Mas quem de nós desiste do amor?

Vivian disse...

Olá,Alicia!!Bom dia!!

É o amor que nos impulsiona, nos move!!
Impossível imaginar a vida sem ele...
Se dá trabalho?Dá! Mas tudo que vale à pena, requer algum esforço!!
Muito bom seu texto!!Gostei como expressa seus pensamentos.
Obrigada pela visita!seja Bem-Vinda ao blog!
Beijos
Boa semana!

Marco C. Leite disse...

"E coisa que esqueci lembrando" Gente do céu... isso é meu dia a dia em poucas palavras... hahahahah... me definiu melhor que minha mãe que "tudo sabe"...

beijos querida

Bom fds

Dessa Britto disse...

Adorei o blog querida, seguindo ...

se der segue tb: dessabritto.blogspot.com

espero que goste (:
Beijos

Long Haired Lady disse...

é que tudo isso as vezes cansa!

Julia Susigan disse...

Obrigada pela visita ^^

Dave disse...

Nada louco.

Pra lidar com amor, desamor, amores e desamores, é necessário ter muita flexibilidade e força, e o pilates proporciona isso...

Te parece louco?

;)

Beijo!

Assis Freitas disse...

essa malhação tonifica o verbo amar,


beijo

Mariana disse...

O amor move de maneira tão envolvente que dá sentido à vida... Lindo texto.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Amor e vida possuem realmente a mesma essência, a da dúvida, do esfarelamento da linearidade.

Tudo que não é amor é apenas cortina que esconde frágil a pele da coisa toda.

O lance é que tem cortina pra caramba por aí...

Parabéns pelo texto.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

já fui amor romântico agora sou amor prosa, bem leve e prosaico

lolipop disse...

Se o amor romântico nos enlouquece, o amor no sentido lato...nos dá asas...

Michelle Crístal disse...

Fui tomada:
Eu amo eu ando!

dear sarah disse...

Eu procuro nem pensar no amor, mas infelizmente ele pulsa em mim...

tá doendo!

Betha Mendes disse...

O amor está em todos os movimentos... impossível não encontrá-lo, ainda que seja em meio à dor!

abç

Betha

CARLA STOPA disse...

Ah o amor...Amar, ser amante, ter um caso de amor com a vidaaaaaaaaaaaaa...Eu quero esse amor.

Flavio Ferrari disse...

Não poderia ter dito melhor ... o prazer que tiramos da vida é do tamanho do nosso amor ...

Carla Farinazzi disse...

Ah, o amor...!

Coisa mais deliciosa. Principalmente o amor por nós mesmos e pela vida!

Super beijo

Carla