Páginas

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Pensar é se defender da vida



Eu te quero e não sei por que isso acontece. Já quis saber, já vasculhei minhas células em busca de uma resposta, já entrei na tua alma buscando um sentido. Quase achei o motivo, olha só que perigo isso. Acho que a gente só pode amar porque não sabe. E eu quase enforco meu amor por você nessa busca desenfreada. Por sorte ou porque eu não quis mesmo, não achei o porquê do meu amor. Agora desisti de querer saber. Ou assumi que não quero saber. Não me interessa racionalizar, não interessa me defender. Pensar é se defender da vida. E eu mandei todas as minhas defesas pro beleléu. (Eu ia dizer que mandei todas as minhas defesas se foderem, mas daí pensei que tenho falado muitos palavrões. Uma vez eu nunca falava palavrão, agora até os escrevo. Nem sei por que estou falando disso. Na verdade sei, é porque eu fico mudando o tempo todo, e acho que nessa, a minha forma de te amar também muda. E eu acho que isso é bom) Agora estou eu aqui, nua diante de você. Despida das minhas racionalizações, pura de desejos, verdadeira como nunca – exceto pelo fato de que finjo a coragem, quando morro de medo. Tsc. Não é isso. Eu sou mesmo uma mentirosa! Porque não finjo porra nenhuma. Eu estou toda corajosa e estou toda medrosa. (Não-toda) E ao mesmo tempo....Porque ser mulher é mais ou menos isso. Ser uma coisa e o contrário da coisa ao mesmo tempo. Ai, como isso é bom.


8 comentários:

Danelize Gomes disse...

hahaha, que confusão é ser mulher e mais ainda é confuso ser não toda.
Pelo menos agora, você está despida das suas racionalizações,estando puro desejo.
Nhac para ti, não toda! *-*

Luana S. Santos disse...

somos esse mar de coisas o tempo todo a toda hora.
É um dia calmo e depois agitado em questão de minutos. rsrs

bjs

Sandro Ataliba disse...

Quanta intensidade, quanta confusão, quanto amor. Quanto...

Camila Lourenço disse...

"Pensar é se defender da vida."

é... acho que andamos pensando demais, então.

Engraçada: quase posso te ver enquanto te leio. Falando intensa e com um riso no canto da boca, enfática e ironicamente tentando convencer.

Engraçado, Alícia, gosto pacaráleo de você!
rsrs

Beijo.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Eu não gosto das mulheres cheias de si. Prefiro as que mudam o tempo todo, as que transpiram dúvidas, enfim..

São mais doces e mais corajosas, justamente por assumirem os seus medos.

Esse papo de 'mulher poderosa' é pra cínico (deve ser porque elas não ligam no dia seguinte). Eu prefiro as femininas.

Anônimo disse...

Esquizofrenica...

Ivan disse...

Essa é a dialética feminina... é linda! Qto aos palavrôes: que se fo$%@!

Tatiana Kielberman disse...

E quão TUDO somos!!!

Acho que um misto de emoções, sentimentos e alguma tentativa de razão...

Perfeito!

Beijos!!