Páginas

domingo, 21 de agosto de 2011

O amor é ridículo




Tá tudo errado. Não era pra ser assim. Não era pra eu te amar desse jeito desproporcional. Eu devia ter um amor do tamanho do meu corpo, e não do tamanho da minha alma.

Não era pra eu ter um amor doído. Acreditei que amor era bom e que fazia as pessoas felizes. Descobri com você que amar é maravilhoso – ou é um inferno. Dizem no senso-comum, ou oito ou oitenta.

Meu amor por você me faz chorar e me esmigalha a alma. Faz faltar o ar dentro do meu corpo, e só poder ser apaziguada por você mesmo, ainda que eu te odeie por alguns instantes.

Que coisa mais ridícula! Você me machuca e só você consegue me consolar. Você se recusa a me consolar, e me machuca ainda mais.

Que coisa mais ridícula! Entrego nas suas mãos a parte mais frágil que tenho de mim mesma, e deixo você pintar e bordar com ela. Você estraçalha a minha parte delicada e preciosa, pisa em cima e ainda cospe. Mas não, meu amor, sei que você não faz de propósito. Não, você não tem a menor idéia de que tem nas mãos esse pedaço tão importante de mim.

E aí tem momentos que eu só sei doer. Só sei transformar alma em lágrima, só sei condensar a minha existência, e condenar os meus sentimentos.

Meu amor por você é meio masoquista. E isso não é baixa auto-estima. Fosse esse o problema, seria muito mais fácil de resolver.

Não sei se o problema é a forma ou se é o tamanho do meu amor. Mas também, no fim das contas, se não fosse um problema...ainda seria amor?


17 comentários:

Carina B. disse...

Você tava ouvindo meus pensamentos, né? Tenho certeza! rs. "Você me machuca e só você consegue me consolar." Perfeito. Aliás, o texto todo, maravilhoso!!!

Só por ser assim, desforme e descabido, é que é amor. Eu acho.
;)

Danelize Gomes disse...

Eu pensei em você, no seus textos e você atualizou seu blog,como isso, sua linda?
Amar é ter sua alma estraçalhada sem um propósito.
às vezes, é mais do doer do sentir.
Não devíamos ter um amor maior que o corpo,mas ele acaba sendo maior que a nossa essência.
Adorei o texto!
Sou tua fã,Alicia!

LuH disse...

De esmigalhar a alma, "Clarice"

Rê_Ayla disse...

Traduziu com perfeição meus sentimentos.

Eu gostaria de ter escrito esse texto, tá perfeito.

Camila Márcia disse...

O amor é o caos. Nunca foi menos que isso, pois ele é tudo isso e ainda aquilo que não podemos imaginar.

Abraços e boa semana.

Anônimo disse...

"Você se recusa a me consolar, e me machuca ainda mais." É como pegar um punhal e rasgar o coração.Muito verdadeiro o texto!

Teresinha Oliveira disse...

Amor é coisa doida mesmo. Se fosse compreensível, medido e lógico não seria amor. Mas quem anda com peito vazio, tem inveja de tamanha confusão.
Teresinha Oliveira.

Andressa C. disse...

Sim, você sempre lê meus pensamentos!

Descobri com você que amar é maravilhoso – ou é um inferno.

Ismália . disse...

Oi Alicia!
O amor é ridículo e nos torna ridículos.
Talvez seja essa a graça de amar. ;)

Beijocas!

Ismália .

A.S. disse...

Alicia,

Sim, o teu texto deixa transparecer realidades que todos sabemos que existem. Contudo, o amor é a mais sublime forma de partilha e cumplicidade!


Beijos,
AL

Madrepérola disse...

Todo mundo já passou por isso um dia, provavel que mais de uma vez, mas a nossa alma é sempre capaz de cicatrizar e nosso coração de amar de novo.

Ayanne Sobral disse...

O problema é que eu te amo, canta Nando Reis enquanto te leio.
O amor é um problema sim, onde não cabe solução.


Mas o problema mesmo é ficar sem palavras diante do seu texto-poesia. O problema é o sorriso bobo que ele me arranca. O problema é a tua intensidade, teu ímpeto. O problema é vir aqui e não querer mais ir embora, porque gosto demais de te ler. O problema é minha cara de embasbacada por reconhecer essas palavras, em mim.

Já disse que sou tua fã?
:)

Camila Lourenço disse...

Tenho medo. Não por mim, mas pelo resto do mundo: Será que todo mundo ama desse jeito desgraçado como a gente ou somos as únicas privilegiadas?


Amei o texto, como sempre.

Bj

Talita Prates disse...

Adorei!

Bem dramático, como é típico de nós, mulheres...

Bjo, A.!

Talita
História da minha alma

Brunno Leal disse...

Sempre há alguém que se entregue maisque o outro,e quando não via pra frente,sentimos exatamente isso que descrevestes lindamente.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Todo amor, pra ser amor mesmo, tem que ser meio masoquista.. e isso não é questionar esse nobre sentimento.. pelo contrário.. talvez seja isso o que lhe confere sua beleza maior.

Meu deslocamento é o seguinte: é possível isso que chamam por aí de 'amor de fato compartilhado'? Ou estamos o tempo todo na gangorra?..

Beijos

Mente Hiperativa disse...

Poisé, o amor é mesmo ridículo...

Bjo