Páginas

domingo, 31 de março de 2013

Vem aqui e me deixa

Tudo é sempre pouco pra mim.

E não é porque "sou intensa", "sou bipolar" ou sou qualquer coisa assim.

É porque sou geminiana. (MENTIRA!)

(Sim, eu sou gemininiana, mas isso nada tem a ver, eu acho).

É que eu vivo me enganando.

Minto pra mim mesma que o que eu quero pode ser nomeado.

Finjo que acredito que é possível me satisfazer.

Acredito nas minhas mentiras.

Me satisfaço.

Me sinto completa.

Me canso de mentir pra mim.

Me canso de me ser.

Tento des-ser.

Não posso.

Só sei me ser.

Estou presa a mim.

Socorro, alguém me salve de mim!

Não, você não. Hum, você também não. Moço, sai daqui! Menina, você é estranha, se afaste.

Não permito que as pessoas se aproximem.

É sempre preciso manter uma certa distâncias das pessoas.

Vai que alguém consegue me salvar de mim mesma, mesmo?

Não posso correr o risco. Me deixem!

6 comentários:

Ismália . disse...

Oi Alicia!

Não sou "bipolar" e também não sou "intensa", eu sou mulher e isso já é o problema (e solução!) suficiente pro resto da vida. =P

Adoro te ler.

Beijocas!

Ismália .

Isblz disse...

Lindo texto, sempre me identifico em alguma frase tua.Tens um dom abençoado .

Juh Martins disse...

E quem nunca quis abandonar seu corpo, por ter se cansado de si mesmo?!
E quem nunca teve medo de ter alguém que o salvasse?!
Muito eu teus escritos.
Senti falta deles...
Não pare de falar com a gente Alícia.
Por favorzinho. ^^
<3

Danelize Gomes disse...

Saudades de te ver aqui. Sempre mantenha uma certa distância das pessoas, se conserve assim, tu és especial, Ali. Textinho intenso esse, hein? Adorei. Beijo. ;*

Cynthia Osório disse...

é o que dá ter um mundo dentro si

Luísa disse...

Adoro a ideia assustadora de mergulhar tão fundo e me afogar em mim. Pelo menos me afogo em verdade.