Páginas

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Deus

Fico tonta e tá tudo errado.

Sei que te amo porque sei que pode acabar.

Sei que te amo porque te dei o poder de me tirar o chão, e apenas rezo pra que você não o faça.

Sei que te amo porque não sei.

Sei que te amo porque quero. Meu amor por ti custa caro, mas vale.

Sei que te amo porque se eu pudesse escolher, não escolheria amar. Escolheria morrer, que deve ser bem mais doce. Escolheria odiar, que é bem mais suportável. Mas o amor não é escolha que um indivíduo em sã consciência  faça.

Deus me livre da sã consciência.

12 comentários:

Mariana disse...

Ai, Alicia, que texto mais lindo! Como é bom poder entrar aqui e ler palavras tão bonitas e verdadeiras.
Beijos

danelizegomes disse...

Tchê, guria! Babo pelos teus textos e tu sempre me pega nos títulos. Achei que era da Páscoa, mas era texto de amor. Sempre amor.
Também escolheria odiar que é mais suportável.
Beijo, Ali Linda.

Graça Pereira disse...

É doce sofrer por amor...
Beijo e votos de uma boa Páscoa.
Graça

Nanda Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nanda Melo disse...

O amor é tudo o que eu não queria sentir.
O amor é a distância que eu deveria querer, mas não consigo.
O amor é o medo que sinto por sentir e o medo maior de viver sem.
Queria não amar, mas não suportaria viver sem amor.

O amor é, eu é que não dou conta de ser.

Marcelo Henrique Marques de Souza disse...

Perto da loucura é realmente bem melhor..

Ayanne Sobral disse...

Hoje eu estava [re]lendo o Diário de Adão e Eva, de Mark Twain, e acho fascinante quando ela se pergunta o porquê de amá-lo. Ele, que nem é lá essas coisas. Mas ela o ama. Porque? [por que?, por quê?]
Mas você o ama. Porque?
Mas eu o amo. Porque?

Porque somos mulheres e amar é próprio da condição feminina?
Porque eles são homens?
Porque eles são engraçados, inteligentes e bonitos?
Certamente, não.

Amamos porque sim.
Porque o amor é uma escolha feita com base nas vontades da alma, e as vontades da alma não precisam de motivos, além do porque sim.

A tua mania de escolher as palavras exatas para mesclarem sentidos absurdos é incoerente de tão certa, Alicia. Não poderia ser outro o título do texto: amor. Digo, Deus.

Ayanne Sobral disse...

Morra de inveja do meu emprego gramaticalmente correto dos porquês.
Eu morro de orgulho, só que não.

:)

Ronaldo Fernandes disse...

Me fez lembrar de um sonho da minha época de ateísmo: Eu em um ônibus particular, uma menina que me dizia: Eu odeio Deus. eu perguntei "por quê?" ela disse "esse Deus é muito exigente" eu disse "Te falaram uma história errada sobre Deus", depois disso deixei o ateísmo, conheci quem é Deus e sua porção em minha vida e amei e amo, e "sei que amo porque não sei" talvez porque ele seja Deus e só isso.

Ronaldo Fernandes disse...

É bem isso mesmo, pois sentimento não se promete, ele vem, tão surpreendente e as vezes vai tão longe, por isso dizia Vinícios "Eu SEI que vou te amar, por toda minha vida vou te amar"

Lendo isso tão linda, este texto destilando e poucas palavras uma vida a dois me lembrei do texto do genial Rubem Alves
http://www.rubemalves.com.br/tenisfrescobol.htm

Monique disse...

Essa sua última frase é quase um lema pra mim; o amor é irracional e me habita, não deixando lugar para sã consciência. Se o contrário fosse verdadeiro, eu não escreveria.

Adoro seu twitter!
Beijos

Homem disse...

Olá,
muito lindo o texto, muito bom tudo!
Parabéns, amar é perigoso, mas quem que não gosta de viver uma aventura e se jogar em braços que não veêm né??

Homem, 2indices.