Páginas

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Eu queria uma poesia pra comer, mas não consegui poesia nem pra escrever


Eu já caí no clichê na postagem de natal, e não queria cair no clichê pra postar sobre o fim do ano, mas aí me lembrei que o blog é meu e eu posto o que eu quiser.
Ah, como sou doce.
Enfim. Tá terminando 2011 e estou muito feliz. Nossa, estou irritantemente chata nesse post, mas é verdade que estou mesmo feliz. Foi um ano em que consegui muitas coisas que eu queria há um bom tempo, e que por algum motivo, não andavam. Nesse ano as coisas andaram. Mas acho que não é das minha realizações que quero falar aqui.
Vocês podem perceber que meus posts têm vida própria. Aqui nesse blog, eu rabisco. Escrevo as coisas conforme elas me vêm na cabeça, então eu nunca sei do que é que eu vou escrever quando começo a digitar. E também não leio os meus textos antes de publicar, porque senão eu acho ruim e apago. Então a minha proposta aqui, na verdade é vomitar. Escrevo de qualquer jeito e sei lá por que raios alguns de vocês gostam, ou ao menos, dizem que gostam.
Esse blog fará 1 ano em janeiro, e eu fico muito feliz que tenha mais de quatrocentos seguidores aqui. Fico muito feliz com os comentários aqui e no twitter. Então acho que hoje eu quero agradecer.
Obrigada, 2011, por ter me deixado conseguir coisas que eu queria. Quero agradecer também a mim mesma por querer as coisas. Vocês sabem, querer coisas é um treco muito complicado. Se esforçar dá trabalho.
Não to gostando nada do que to escrevendo, mesmo sem ler. Acho que eu queria mesmo era uma poesia. Eu queria uma poesia pra comer. Letras que me fizessem cócegas, textos que me transcendessem. Mas o último post foi clichê, esse post foi banal. A felicidade é mesmo uma merda pra escrita.

6 comentários:

Carina B. disse...

Felicidade compartilhada é ainda mais feliz!
E eu agradeço pelos posts, por tantas palavras poéticas ou não, e pela amizade linda que a vida nos deu e soubemos aproveitar.

Um beijo!

Camila Lourenço disse...

Hahaha

Sua besta. Vc tem medo de parecer sentimental? EU AMEI esse post de agradecimento.
A parte: "Obrigada, 2011, por ter me deixado conseguir coisas que eu queria"
É mt fácil só olhar pro que não alcançamos. Abrir o peito e dizer com franqueza e alegria (ñ pra parecer legal) "Obrigada" é dádiva de poucos.

Amém. O ano tá acabando e que 2012 seja melhor.

Bjo

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

A sua escrita me agrada também quando ela se sufoca na inexpressão, quando ela lida com o vazio verbal. Da falta de inspiração surgem palavras, pensamentos, mesmo que sejam erigidos para que sirvam ao questionamento de seu próprio aparecimento.

Danelize Gomes disse...

Que bobalhona que tu fica quando tá feliz, adorei!
A agradeço por ter descoberto o teu blog em março deste ano!
As tuas palavras têm vida própria e da alguma maneira elas vem até mim *-*

Andréa Llago Fotografia disse...

Deixa para comer os Kibes...

Vomitar é deixar sair o que vc realmente é, e é essa a razão de tantos elogios, porque vc se mostra na sua escrita, sem máscaras..

Eu adoro!

Beijos,

Guilherme disse...

A tristeza nos dá profundidade, um centro, um escuro pra desembrulhar. A felicidade é muito nítida, exposta, sincera. Cabe afinar os olhos pra beber das entrelinhas dos dias felizes e confessar os seus detalhes.