Páginas

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

zZzZzZzZZZzzzz...

Estou farta de te amar. Amo um dia, no outro também e no outro, ainda. Aí decidi desamar um pouco, pra sair da rotina. Aí fiquei presa no excesso de desamor. Que na verdade não é falta de amor, é uma tentativa de não te sufocar com meus excessos (ou com as minhas faltas, não sei bem qual é a diferença). Aí fico te protegendo do meu amor que é sufocante pra você e é sufocante pra mim também, e como consequência disso, fico amor-tecida. Assim meio zumbi, assim meio presa numa sucessão de dias que são parecidos. Assim meio com preguiça de ter que lidar com o meu desejo de te devorar, assim meio com preguiça de ter que lidar com o seu medo de ser devorado por mim. Meu desamor me protege disso tudo, mas por outro lado me priva de boa parte das delícias que tenho quando te amo de peito aberto. Acabo de saber que é por isso que eu não tenho escrito. Meu primeiro post desse blog teve como título "escrevo para acordar". Então é isso, não tenho escrito porque estou dormindo. Eu e essa minha compulsão brega a ser bela adormecida. (Mas não é um beijo que me acorda, é a escrita. Só depende de mim.)

3 comentários:

Danelize Gomes disse...

Mais uma vez, obrigada. Estamos em 2015 e eu estou aqui te lendo de novo, já pensou nisso? São quatro anos de um amor. É um grande amor que eu tenho pelos teus textos e pela forma que tu tem de falar de coisas, de sentimentos e de dores que são corriqueiras pra mim.
Parece bobo, mas me identifico. Beijo no coração, Ali. ♥

Graça Pereira disse...

Gostei de te ler e desejo continuar a fazê-lo neste 2015 que nasceu há pouco...
Bj
Graça

Anônimo disse...

ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo