Páginas

domingo, 7 de outubro de 2012

Me beije a boca do estômago

Minha alma quer fugir do meu corpo para se fragmentar do universo.
Quero entrar em combustão espontânea e tirar férias de mim.
Preciso de uma existência que formigue, de um amor-tecido.
Quero deitar minha cabeça em seu peito, e então parar de respirar, enquanto o sangue que corre pelas suas veias ande cada vez com menos pressa, até então, p a r a r .
Te quero lambendo a minha alma.
Me beije a boca do estômago.
Abrace o meu sorriso triste.
Meus olhos cansados pedem cafuné.
Ah, mas nossa, Alicia, que palavras deprimentes.
Parece tristeza, mas é só cansaço de ser.
Roube-me de mim, por favor.

14 comentários:

Amanda Santos disse...

Encantador!


Fique em paz e viva,
Amanda.

Junior Gros disse...

Leio teus textos como um piá que espera na cerca para ver aquela vizinha por quem nutre um amor platônico.
O ponto final chega, sobra o suspiro.

Rafa :) disse...

"Te quero lambendo a minha alma."

Me deixe só acrescentar isso: E fazendo cada pêlo existente em meu corpo se eriçar.

Mente Hiperativa disse...

Adoro esses seus testemunhos viscerais... Bjo

Juh Martins disse...

'Roube-me de mim por favor.'
Gosto quando venho aqui,e vejo que vc disse exatamente o que eu gostaria de dizer e,não posso,ou não consigo.
Lindo.Como sempre.

Trechos de Alícia disse...

Sempre encantadora e profunda com suas palavras. Gosto da forma com que tu escreves, sempre passando seus sentimentos para cada leitor e fazendo com que nós possamos sentir também o que estás sentindo. Gosto realmente dos teus textos. São adoráveis demais. Parabéns e sucesso.

Lívia Azzi disse...

A d o r a r i a roubar você, Alícia, só um pouquinho... pra mim. Hahaha! E suas palavras, imaginação e fuga: roubando alguém de si mesmo, fugiria de mim, feito faço quase todos os dias.

<3

Michael Miller disse...

Sinergia.

Michael Miller disse...

Ou simbiose, depende do ponto de vista.

Ferr disse...

Achei profundo quando você escreveu "Abrace o meu sorriso triste." Só quem ama muito para fazer tal coisa.
Neste mundo de sorrisos tantos: verdadeiros, escancarados, dissimulados, tímidos... Os sorrisos tristes passam desapercebidos.Cabe ao amado dá-lo o seu devido valor.
Fiquei com uma dúvida. O que seria um amor-tecido? (Eu sei que você não irá responder, mas quis deixar registrado.)
PS: Gostei de receber teu texto via email. Foi o primeiro de muitos,espero.

A.S. disse...

Quem poderá resistir a tão delicioso apelo, quando em cada sílaba trazes uma doce e suave caricia!...


Beijos!
AL

Bruna Zumbia disse...

me roube, me tire o cansaço dos ombros, é o que pedimos, somos almas poetas com manchas no peito, é uma droga e vivemos cansados, sei bem.

Cilas Machado disse...

"Te quero lambendo a minha alma.
Me beije a boca do estômago."

Show!

http://umaestrelanochao.blogspot.com.br/

Mário Lúcio disse...

Esse poema é bem Drummoniano, que bem construção poética, me lembrou os poemas de A Rosa do Povo, parabéns, se possível dá uma olhada no meu Blog: http://versosdaconsciencia.blogspot.com.br