Páginas

domingo, 22 de julho de 2012

Saudades


1 - Sinto saudades do menino besta que você era.
Da cara de pseudo-segurança com a qual me olhava, e me deixava sem-graça.
2 - Sinto saudades da sensação paranóica que eu tinha de que você lia os meus pensamentos.
De todo o esforço que eu fazia para que os meus olhos, ou cada um dos meus poros, não denunciassem que eu já te amava, muito antes de dizê-lo.
3 - Sinto saudades do esforço que eu fazia pra disfarçar a taquicardia que você me provocava a todo o instante.
Antes de te amar, eu nunca tinha sentido o meu coração. Eu nem sabia que ele ficava mais para o meio do meu corpo do que "do lado esquerdo do peito", como dizem. (É, o amor ensina biologia, minha gente)
4 - Sinto saudades do brilho dos meus olhos, que timidamente olhavam para o brilho dos seus.
E você nunca ficava encabulado quando eu te fitava com a curiosidade com a qual uma criança que mora na cidade fita o mar pela primeira vez.
5 - Eu sinto saudades da hiperatividade adolescente das suas mãos, que estavam em todos os lugares ao mesmo tempo.
6 - Eu sinto saudades do sabor dos seus sonhos, quando você acreditava na beleza da maioria das pessoas.
7 - Eu sinto saudades dos seus carinhos gratuitos, que vinham sempre acompanhados de demandas dos meus carinhos, que tímidos que eram, tinham medo de te assustar.
8 - Eu sinto saudades do coelhinho, das tardes e noites de sótão, Dexter, Lost, coca-zero, chocolate, dos poemas do Neruda, das legendas românticas nas fotos do Orkut, e da trilogia do Senhor dos Anéis que eu nunca conseguia assistir acordada.
9 - Eu sinto saudades de quando você tinha alucinações visuais ao me ver, porque só isso explica o fato de você não enxergar as minhas estrias, o meu mau-humor, as celulites, as chatices com picuinhas, as gordurinhas localizadas, as incongruências,  ou quaisquer defeitos, e só sabia me achar perfeita.

Cada uma dessas saudades me dói profundamente, cada vez que me acometem.


10 – Mas a principal é que... Eu sinto saudades de quem nós éramos naquele tempo. E essa é a saudade que mais dói, porque eu não quero voltar no tempo. A nostalgia é uma delícia quando se deseja ser ontem. Mas eu amo ontem o suficiente para deixá-lo. Aí a nostalgia fica esquisita. Até porque, o ontem continua hoje. As pessoas que éramos coexistem em nós, ainda hoje, mas são óbvias demais para que nós a percebamos. Tenho saudades porque as saudades também provocam dores boas. Sei que eu te amo porque tenho saudades de ti todo o tempo, dos muitos homens e meninos que coexistem em você, inclusive de todos os que você virá a ser. Sinto saudades do que ainda nem nos tornamos. Sei que eu te amo porque o passado, o presente e o futuro ficam todos mesclados em mim. Sei que eu te amo porque me fundo a você, como num bolo mármore, onde você pode ver o que é um e o que é outro, mas não consegue separar o que é um e o que é outro. Sei que eu te amo porque esse negócio que eu sinto e chamo de amor, me põe a escrever um texto esquizofrênico. Mas é assim que eu te amo, barão, de um jeito esquizofrênico. 

8 comentários:

Danelize Gomes disse...

Perdi o fôlego e os sentidos ao ler teu texto. Como a saudade poder ser boa e muito ruim ao mesmo, não entendo e também não entendo o amor, só sei que ele existe, né.
Perfeito, Alicia.

Ayanne Sobral disse...

Te ler me fez sentir saudades. De coisas que não vivi, de lugares que nunca fui, de pessoas que não conheci.
E te ler me fez sentir saudades das coisas que eu vivi um dia, dos lugares que fui, das pessoas que conheci e que já não são.
Te ler me arrancou umas lágrimas doídas, de saudade.

Saudade, esse sentimento tão conhecido meu. Te ler falando sobre ele, de um jeito tão lindo e doce e forte, me fez sentir saudades. De mim.

jaquegatti disse...

mto bom... As pessoas mudam mto mesmo, mas e otimo sentir essa saudade gostosa...

Ferr disse...

Tua saudade é bonita e carregada de significados. Saudade que dói, que brinca com todos os sentidos e se faz sentir em coisas simples que pra muitos passaria desapercebido.
Conheço uma canção que diz que "Só se tem saudade do que é bom.Se chorei de saudade não foi por fraqueza.Foi porque amei"
Então aproveite o agora e o saboreie mais amanhã, pois pode virar saudade.

Mente Hiperativa disse...

Estou convencido de que o amor é uma doença, uma praga massiva que se encarrega de destruir vidas ou apenas torná-las mais difíceis. Mas parece que a sociedade contemporânea tem encontrado a vacina pra essa doença, o amor anda tão ausente, tão fugaz.

Carina B. disse...

"Sei que eu te amo porque o passado, o presente e o futuro ficam todos mesclados em mim."

Será que amor é quando o tempo não importa?

Lindo texto, A..

Você em Pauta disse...

Em resumo, eis que confesso. Gosto de sentir saudades, pois todas as vezes que sinto saudades, sinto voce aqui tambem....

Flá Costa * disse...

Alicia, sumida, também sumi por aqui mas que texto doído. De verdade... esse final é de rasgar a alma. Se for verdade, se esse sentimento todo estiver aí mesmo e não for só mais um "conto", torço mesmo para que você melhore e consiga se recuperar.

Beijoca